sexta-feira, 5 de outubro de 2012

o vento do mar

Queria transformar o vento.
Dar ao vento uma forma concreta e apta a foto.
Eu precisava pelo menos de enxergar uma parte física
do vento: uma costela, o olho...
Mas a forma do vento me fugia que nem as formas
de uma voz.

.............................
Manoel de Barros



Registros feitos durante passeios de bugre em
São Miguel do Gostoso, Natal e Pipa (RN)